Você gostaria de fazer aquela tão sonhada viagem pela Europa? Visitar países e cidades que possuem uma cultura bem diferente da nossa? Viver experiências únicas no velho continente? Eu tenho certeza que sim… Mas realmente planejar a primeira viagem pela Europa não é uma tarefa das mais fáceis. Nós fizemos nossa primeira viagem pelo Velho Continente no final do ano passado e pudemos perceber que muitas dúvidas surgem tanto durante o planejamento quanto durante a própria viagem.

Viagem pela Europa
Coliseu – Roma
Viagem pela Europa
Museu do Louvre – Paris

Como nós adoramos a nossa viagem, já estamos planejando outra para esse ano. No fundo, estamos percebendo que toda viagem pela Europa é como se fosse a primeira, a menos que você volte somente às cidades que você já visitou, em toda nova viagem pela Europa, você terá as mesmas perguntas iniciais: Preciso de visto? Quais documentos são necessários? Onde começar a viagem? Qual roteiro escolher? Como levar o dinheiro? Quantos dias ficar em cada cidade? Como circular entre as cidades? Quanto vou gastar? Não precisa ficar desesperado achando que você nunca vai conseguir planejar uma viagem pela Europa. Você pode ficar tranquilo. Nesse nosso artigo vamos tirar as dúvidas mais comuns de quem quer ir para a Europa pela primeira vez. De maneira simples e didática, vamos mostrar como fizemos o planejamento da nossa viagem pela Europa, como montamos o nosso roteiro, quanto gastamos e todas as dicas essenciais para conhecer o Velho Continente. Logo, continue lendo esse artigo para ver dicas sobre:

  • Passaporte e Vistos
  • Documentos Necessários
  • Dinheiro x Cartão x Travel Money
  • Comprando as passagens
  • Montando o Roteiro
  • Se comunicando na Europa
  • Hospedagem
  • Circulando: Trem x Avião x Ônibus x Carro
  • Bagagem: o que levar
  • Atrativos Turísticos
  • Dicas de segurança
  • Orçamento e Custos

Passaporte e Vistos

Preciso ter passaporte e vistos para todos os países que vou visitar na Europa?

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

Bem, o passaporte é um item praticamente obrigatório para quem busca um destino internacional. Dizemos praticamente obrigatório porque com exceção de destinos da América do Sul, para a grande maioria do mundo, o passaporte é o documento padrão. Logo, se você não tem passaporte ou se o seu está com a validade vencida, é hora de correr atrás do prejuízo. E quanto mais rápido melhor. Nunca se sabe quando pode acontecer um problema na emissão do documento. Essa dica também vale para quem está com o seu passaporte perto de vencer. Vários países exigem que o passaporte tenha o mínimo de 6 meses de validade. Portanto fique atento! Não vale a pena correr o risco de ser deportado. Por isso, sempre consulte atentamente as regras do seu destino. Já com o passaporte em mãos é hora de descobrir se os países que você vai viajar exigem ou não visto para brasileiros. O bom de uma viagem pela a Europa é que a maioria dos países não exige visto para brasileiro viajando a turismo por até 3 meses. O que facilita bastante o transito entre os países. Mas atenção! Se você tem conexão nos Estados Unidos o visto americano é obrigatório, independente do país ser apenas uma parada. Se você não tiver o visto americano nem poderá embarcar. O mesmo vale para conexões em outros países que exijam visto para brasileiros. As regras, documentos e valores para retirada do visto variam de acordo com o país de destino. Veja a lista de países que cobram ou não visto para brasileiros

Documentos necessários

O que preciso para entrar na Europa?

 

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

Em uma viagem pela Europa é preciso estar muito atento a detalhes que podem garantir que sua viagem não seja um desastre. Portanto, vale lembrar que embora não seja exigido visto para brasileiros, existem alguns documentos obrigatórios para se entrar na Europa. A maioria dos países da Europa fazem parte do Tratado de Schengen. Um acordo que garante a livre circulação de pessoas dentro dos países que assinaram o tratado. Na prática, se você circular por qualquer um dos países do tratado, passará pela imigração apenas uma vez, somente no país de chegada na Europa.

Países que fazem parte do Tratado de Schengen

Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Grécia, Hungria, Mônaco e San Marino.

Documentos exigidos pelo Tratado de Schengen

Passaporte:

Como já falamos o passaporte é o documento oficial para uma viagem ao exterior. Logo esteja com ela nas mãos e dentro da data de validade.

Seguro Viagem:

O Seguro Viagem é uma exigência para que o turista possua um seguro com cobertura mínima de € 30.000 para assistência médica por doença ou acidente. Fora a cobertura médica, os seguros viagem para o Tratado de Schengen cobrem também extravio e perda de bagagens, assistência dentária, entre outras coisas. Logo além de ser super recomendável você sempre viajar para o exterior com um seguro viagem, numa viagem pela Europa, ele é obrigatório. O preço do Seguro Viagem com as exigências do Tratado de Schengen varia entre R$ 130,00 a R$ 200,00. Nós compramos o seguro da Assist Card – AC 65 Europa, e achamos o atendimento muito bom. Minha mala foi extraviada e entrei em contato com o seguro para saber como funcionava a cobertura de extravio de mala. Fui super bem atendido! Por sorte não precisei usar o seguro, minha mala chegou algumas horas depois. Existem vários sites para fazer a cotação do seguro. Recomendamos que você pesquise vários, pois os preços dos seguros variam bastante de site para site. Google neles!

Passagem de volta

Também é necessário ter uma passagem de volta emitida para entrar na Europa. Esse é um dos itens mais pedidos pela imigração. Logo, é bom sempre ter a passagem em mãos.

Comprovante de Hospedagem

Outro item obrigatório para entrar na Europa é o comprovante de reserva de hospedagem. Também é um item muito pedido pelo agente da imigração. Logo o ideal é que você tenha em mãos a reserva de todos hotéis ou albergues onde você vai ficar durante a viagem pela Europa. Nós usamos muito o site do Booking para fazer as reservas. Além de ter várias ofertas em promoção, o site também tem vários hotéis que permitem o cancelamento grátis, sendo ideal para quem gosta de mudar roteiro durante a viagem. Caso você vá ficar na casa de alguém que reside legalmente na Europa, você terá que providenciar a carta convite. Há inúmeros modelos de carta convite na internet e o recomendável é que a carta seja feita numa versão em inglês e outra versão na língua do país onde o anfitrião reside.

Comprovantes Financeiros

Na entrada da Europa, também pode ser exigido que você comprove que tem condições financeiras para se manter durante todo o tempo da viagem. Por isso é bom sempre levar um extrato da sua conta bancária ou do seu cartão pré-pago de viagem, um extrato que comprove o limite disponível no cartão de crédito ou até mesmo quanto você tem em espécie. Segundo os sites das embaixadas de Portugal e Espanha, o valor médio diário exigido numa viagem pela Europa seria de 65 Euros.

Check-list de documentos para entrar na Europa

A entrada na Europa é sempre concedida na hora por um agente de imigração. Por isso, é fundamental que você imprima e organize todos documentos necessários em uma pastinha (a nossa foi fundamental), fique tranquilo e não minta para o oficial de imigração. Só responda ao oficial o que lhe foi perguntado e só entregue os documentos que lhe foi pedido. Na maioria das vezes eles pedem somente o passaporte e a passagem de volta. Mas não vale a pena arriscar. Por isso sempre faça o check-list abaixo:

  • Passaporte válido com pelo menos 6 meses de validade.
  • Seguro viagem com cobertura mínima exigida pelo Tratado de Schengen (€ 30.000).
  • Passagem de volta emitida.
  • Comprovante de Hospedagem (reserva dos hotéis/hostels ou carta convite).
  • Comprovantes Financeiros para se manter na Europa durante a viagem.

Dica: Não deixe de levar um documento extra, como a carteira de motorista. Além de ser aceita para dirigir em muitos países, ela evitará que você precise andar todo o tempo com o passaporte.  Nota: Se você observou bem, a Inglaterra não faz parte do Tratado de Schengen. Porém, apesar do país não exigir o Seguro Viagem (mas é recomendável ter um mesmo assim), todos os outros documentos listados acima são necessários para entrar no país.

Dinheiro x Cartão x Travel Money

Como levar meu dinheiro?

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

Não existe meio de pagamento perfeito numa viagem pela Europa. Todos têm prós e contras. Dinheiro – Levando dinheiro vivo, você evita os 6,38% de IOF. Você paga somente 1,1% de IOF na hora da compra do Euro. Cartão – Usar o cartão de crédito é bastante cômodo, seguro e ainda pode render milhas. Mas além dos 6,38% de IOF, você está sujeito à variação cambial. Se o real desvalorizar entre a compra e o momento do pagamento da fatura, você tem gastos extras. Travel Money – O cartão pré-pago (travel money) é uma outra opção bem mais segura do que levar dinheiro vivo. Mas você paga 6,38% de IOF. O ideal é mesclar o seu dinheiro entre as 3 opções. Nós, por exemplo, como viajamos para países e cidades tidas como seguras, acabamos levando a maior parte do nosso dinheiro em Euro. Também usamos bastante o cartão de crédito, principalmente para comprar ingressos para museus e outras atrações turísticas. E colocamos apenas 100 Euros em um cartão Travel Money, somente para emergência. Caso a gente precisasse sacar mais dinheiro, podíamos transferir o dinheiro para o Travel Money e realizar o saque. Afinal, a taxa de saque do cartão Travel Money é menor do que a do cartão de credito

Comprando as Passagens

Como comprar passagem para a Europa?

Comprar uma passagem por impulso costuma ser o erro mais comum de planejamento numa viagem pela Europa. Achar uma passagem com super desconto de ida e volta a uma cidade específica, só garante a viagem de quem só quer ir para essa cidade. Na maioria das vezes, continuar a viagem a partir dessa cidade, e sobretudo voltar para lá para pegar o vôo da volta para o Brasil, costuma não valer a economia da passagem, e ainda causar vários perrengues logísticos. Logo, o ideal é comprar a passagem depois de ter definido o seu roteiro de viagem pela Europa. Mas é claro que muitas vezes, principalmente quando a promoção de passagens está imperdível, acabamos tendo que adaptar o nosso roteiro de acordo com a passagem. Foi mais ou menos o que aconteceu em nossa viagem pela Europa. Nós achamos uma promoção de passagens da empresa área Alitalia para o trecho Rio de Janeiro x Roma para Novembro do ano passado. Como a empresa é parceira da Gol, a passagem estava saindo a 35000 milhas smiles o trecho. Após pesquisar, conseguimos achar uma passagem com ida para Rio de Janeiro x Barcelona e a volta Roma x Rio por 70000 milhas smiles os dois trechos. Dica: Para quem tem bastantes milhas, ou assina o Club Smiles da Gol, a Alitalia sempre tem essa promoção de passagens para a Europa durante os meses de Setembro, Outubro Novembro e Dezembro. Estamos começando a panejar outra viagem pela Europa, e encontramos novamente trechos a 35000 milhas smiles durante esse período, tanto para Roma como para Barcelona.

Montando o seu roteiro

Como montar um roteiro pela Europa?

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

A maior dica que podemos dar para você montar o seu roteiro pela Europa é:  “menos é mais”. Muitas vezes o viajante se empolga em fazer várias cidades de uma só vez, não levando em consideração o tamanho delas, a distância entre uma e outra e também o tempo e o dinheiro gastos nestes deslocamentos. No mapa, tudo parece perto. Mas os mapas e GPS não levam em conta o tempo que se gasta em arrumar a mala, fazer o check-out no hotel, atrasos de voos ou por causa do transito, encontrar o próximo hotel, fazer o check-in, e tudo mais. Fora isso, é bom você saber que toda grande capital da Europa exige no mínimo 3 dias completos. E tem cidades como Paris e Roma, que 3 dias é pouco tempo. E falamos isso por experiência própria, passamos somente 3 dias em Paris e ficamos com muito gosto de quero mais. Sendo assim, para montar um bom roteiro de viagem pela Europa, em primeiro lugar, você deve colocar todos os seus planos de viagem num papel ou numa planilha. Depois, pesquise sobre os destinos que você gostaria de conhecer e defina um roteiro levando sempre em conta a logística de locomoção entre os destinos escolhidos para não perder tempo desnecessário. Dica: para aproveitar bem um roteiro de viagem pela Europa, é incluir alguns bate-e-voltas a cidades ou vilas em seu itinerário. Por exemplo, em nossa viagem, saímos de Barcelona em um dia bem cedinho para ir conhecer Andorra que fica a 3 horas de ônibus. Voltamos no final do dia seguinte. Conseguimos curtir quase dois dias inteiros os spas e as montanhas do pequeno principado entre a Espanha e a França. 

Se comunicando na Europa

Inglês, Espanhol, Francês e até Português são as línguas que você mais vai ouvir e ser ouvido por lá. A Europa é bastante turística, logo a língua inglesa está bem difundida no continente, então quem domina o idioma está ok (tirando alguns países como a França por exemplo, em que alguns locais “torcem o nariz” quando o visitante já chega com um good morning…). Outro fato que ajuda muito na comunicação, é que muita gente que trabalha com turismo também fala espanhol (alguns arranham até um português). Agora, uma pergunta. Dá para se virar em uma viagem pela Europa com um inglês básico? Resposta, Dá! Uma surpresa nossa foi perceber que nem todo mundo falava inglês fluente como achávamos que seria, mas sempre prevaleceu a boa vontade em ajudar, e quando há boa vontade nenhum idioma é obstáculo.

Hospedagem

Como reservar hotéis, albergues ou apartamentos na Europa?

Viagem pela Europa
Apartamento em Amsterdam

Depois de definir o seu roteiro de viagem pela Europa, é hora de fazer as reservas de hotéis. A dica é entrar em sites de reservas, como o Booking, com o máximo de antecedência da viagem. Vale lembrar que os estabelecimentos mais afastados das regiões turísticas costumam ter preços melhores. Mas a boa é sempre pesquisar sobre a localização para saber se é segura e se vale a pena pagar menos. Em geral, nas cidades grandes como Paris, Madri e Barcelona, você só precisa ficar próximo a uma estação do metrô para estar bem localizado! Para quem não puder pagar pela sua estadia no momento da reserva, podem procurar por ofertas com cancelamento gratuito no site do Booking. Essas ofertas também são legais para aqueles que gostam de alterar o roteiro durante a viagem. É só entrar no booking e marcar a opção cancelamento gratuito, daí só os hotéis e hostels com essa características irão aparecer.

Circulando: Avião x Trem x Ônibus x Carro

Qual a melhor maneira de circular por entre os países da Europa?

Já falamos sobre a importância de planejar os deslocamentos entre cidades e países com cuidado para evitar a perda de tempo e dinheiro. Portanto, agora vamos mostrar os meios de transporte mais eficientes na Europa.

Avião

Devido aos preços atraentes das passagens aéreas low-cost, deslocar-se de avião costuma ser a opção mais fácil e rápida. Afinal, a Europa possui várias opções de empresas aéreas de low-cost (empresas que oferecem passagens super baratas, é possível achar voos a partir de 10 Euros). As mais conhecidas são a Ryanair e a Easyjet. Mas tenha em mente o famoso ditado “Quando a esmola é demais, o santo desconfia”. Muitas vezes o preço baixo pode acabar virando um pesadelo. O ideal é que você leia todas as regras, limites e proibições das passagens de low-cost (principalmente o limite de bagagens), para que não tenha problemas nas próximas viagens. Outro problema dos voos de low-cost é que geralmente eles são para os aeroportos secundários, longe dos grandes centros ou até mesmo em cidades vizinhas – o que representa difícil acesso. Não deixe de pesquisar a localização, distância, tempo de percurso e tipos de transporte que serão necessários no deslocamento entre aeroporto e o seu destino final. Para quem pretende usar as empresas de low-cost, o ideal é comprar as passagens uns 5 a 4 meses antes da viagem para conseguir os melhores preços –fica a dica. Em nossa viagem pela Europa, nós viajamos com a empresa Vueling, tanto o trecho Barcelona x Paris, quanto o trecho Amsterdam x Roma. Pagamos 50 Euros por trecho com direito a 1 bagagem e 1 mala de mão. Achamos muito bom todo o atendimento da empresa. E o melhor foi que os voos não eram para os aeroportos mais distantes. Para saber mais sobre passagens low-cost, o site Melhores Destinos tem um artigo muito bom.

Trem

Apesar de ser geralmente a opção mais cara, o trem é o meio de locomoção europeu por excelência. Isso porque neste caso o passageiro só precisa chegar na estação uma meia hora antes do embarque. Sem falar que as estações ficam no centro da cidade, o que facilita bastante o deslocamento entre o hotel. Para comparar a duração de viagens entre trem e avião, você deve sempre acrescentar três horas ao tempo de voo, pois é o mínimo de tempo extra que você leva para ir e voltar do aeroporto, fazer check-in e esperar bagagens. Uma dica muito boa para quem tem disposição e não se importa em dormir no trem, é fazer os trajetos a noite. Assim você consegue economizar o dinheiro da diária do hotel. Veja neste post do Melhores Destinos como é a agradável experiência de explorar a Europa de trem,

Ônibus

Se você tiver mais tempo disponível e quiser economizar nas passagens internas, uma opção é viajar de ônibus. A Eurolines é uma empresa bastante conhecida na Europa e que oferece uma série de trechos a preços camaradas. Nós fizemos o trecho Paris x Amsterdam de ônibus por 50 Euros o casal. A viagem durou 7 horas e apesar de o ônibus ser desconfortável, é uma boa maneira de economizar dinheiro, principalmente se você fizer o trecho durante a noite, deixando de pagar uma diária de hotel. Infelizmente nossa experiência não foi a mais agradável, nosso motorista foi ouvindo um som bem alto toda a noite e as cadeiras eram bem apertadas, dá próxima vamos dar preferência aos outros meios de transporte para deslocamentos mais longos.

Carro

Carros e cidades grandes não combinam. Apesar do GPS ajudar, ele não elimina o stress do trânsito e da busca de estacionamento. O carro é perfeito para viajar pelo interior, parando a hora que quiser e sem se preocupar com horários.

Hora de arrumar a bagagem

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

O que levar durante uma viagem pela Europa?

Na hora de fazer a mala é preciso lembrar que a viagem é para outro país. Logo, tudo o que você usar de forma contínua deve ser levada do Brasil, especialmente remédios., as farmácias por lá não são como aqui, vá por mim, monte uma farmacinha e vá garantido. Se você for para a Europa no final do Outono ou no Inverno, vai precisar de meias térmicas, camisas e calças conhecidas como “segunda pele”, cachecol de lã, gorro para proteção da cabeça, um par de luvas e alguns casacos. Sapatos confortáveis também são importantes para quem pretende andar bastante. Para quem for que é a primavera x verão não deve se esquecer de levar roupas leves, filtro solar, um casaco leve – caso apareça alguma frente fria – e capa de chuva. Algumas cidades o vento é tão forte que acaba não compensando usar guarda-chuva. Apesar de os passageiros que embarcam a partir do Brasil em voos para a Europa terem o direito a dois volumes com 32kg cada um, e mais uma bagagem de mão com volume de 115cm, não é nada prático carregar uma mala pesada, especialmente se você for trocar várias vezes de cidade. Se estiver planejando viajar de avião no meio da viagem, tenha muito cuidados com os limites de bagagem para não levar um grande prejuízo com excesso de peso. A maioria dos voos dentro da Europa possuem limites de peso para despachar a bagagem menor do que 32kg. Em relação à bagagem de mão é sempre bom reforçar que muitos objetos não são permitidos e devem ser despachados: líquidos acima de 100ml; arma de qualquer tipo; objetos pontiagudos, cortantes ou de ponta arredondada, e substâncias explosivas, inflamáveis, químicas ou tóxicas. Consulte o site da companhia aérea escolhida para ver as regras do país de destino.

Qual a melhor mala: mochilão ou mala de rodinha?

Essa é uma pergunta delicada, pois a questão de qual mala é melhor, depende muito do gosto de cada viajante. Nós quase sempre viajamos com mochilão, porém em nossa viagem pela Europa, optamos por ir com malas de rodinha. E posso te falar uma coisa? Acho que foi a melhor decisão que fizemos. Como só passamos por cidades grandes, onde as calçadas eram boas e sempre tinha transporte público perto dos aeroportos e rodoviárias, a mala de rodinha foi um grande adianto pra evitar aquele cansaço nas costas no fim do dia. Dica: 1) Quando tudo estiver pronto e a mala fechada, use um cadeado ou um lacre para trancar a mala. Colocar fitas coloridas ou tags de identificação é fundamental no caso de extravio. Não conte com a sorte, portanto retire qualquer objeto de valor de dentro da bagagem que será despachada. Dinheiro, câmera fotográfica, computador e outros bens valiosos devem ir na bagagem de mão, assim como uma muda de roupa para o caso de a mala ser extraviada ou se houver atraso no voo. 2) Se optar por mala de rodinha, certifique-se que elá está completamente ok antes de partir, a da Lais tinha acabado de ser concertada e arrebentou novamente durante a viagem, gerando alguns estresses desnecessários.

Atrações turísticas

Viagem pela Europa
Jardim Luxemburgo – Paris
Viagem pela Europa
Caldea Spa – Andorra
Viagem pela Europa
Amsterdam

Não sou muito chegado a museus e igreja, vou conseguir curtir uma viagem pela Europa?

Com certeza sim. Você vai curtir muito sua viagem pela Europa. Afinal, a Europa está nos detalhes. O Velho Continente não é só igreja, museu e monumento. A maior dica que podemos dar é em vez de dar tanta importância aos cartões-postais que muitas vezes não conseguimos conhecer todos, dedique-se a viver as coisas mais comuns a todas as cidades europeias. Tipo andar a pé e de transporte público; xeretar o pequeno comércio; sentar num café e ver a vida passar; provar comidas simples, feitas do mesmo jeito há séculos. Esses são alguns prazeres imbatíveis, que só se encontram numa viagem pela Europa. Não gaste seu dinheiro só para fazer selfies nos cartões-postais. Use também os outros quatro sentidos, e você vai aproveitar muito mais sua viagem.

Como eu compro os ingressos para as atrações turísticas da Europa?

Uma das coisas que mais nos surpreendeu na Europa eram as filas para os museus. E sabe porque ficamos tão surpreendidos? A maioria dos museus tem venda de ingressos online onde você compra antecipadamente e não precisa enfrentar fila para entrar. E mesmo assim, muita gente, ou não sabe dessa informação, ou prefere enfrentar filas. Portanto a dica é sempre comprar os ingressos online antecipadamente. Apesar de você pagar taxas do serviço de venda online, vale a pena para não ter que enfrentar as filas. Acredite, vale muito! Compre tudo online e use seu tempo para explorar a cidade ao invés de enfrentar filas. Nós compramos todos os ingressos um dia antes de visitar os museus, demos preferência para comprar assim para ter mais autonomia, em Paris por exemplo, quando soubemos que a previsão do tempo apontava chuva para o último dia, deixamos para visitar o Louvre nesse dia, pois ficaríamos o dia todo por lá.

Dicas de segurança

Em uma viagem pela Europa é sempre muito importante que alguma pessoa no Brasil saiba todos os passos do seu roteiro. Vale a pena deixar com ela as cópias das passagens aéreas, reservas de hotéis, cópia do passaporte, seguro de saúde e um roteiro básico da viagem. Caso aconteça uma emergência, será mais fácil de agir e tomar providências. Tenha sempre cópias dos seus documentos. Com cópias é muito mais fácil resolver problemas como furto de passaporte, por exemplo. Caso esteja viajando com cartões de crédito, tenha também guardado os números de atendimento ao cliente no Brasil e no exterior. Isso facilitará na hora de cancelar os cartões se os mesmos tiverem sido roubados ou perdidos. Quanto a segurança na Europa, as cidades em geral são muito mais seguras que as do Brasil. A sensação de segurança realmente é muito grande. Porém você não pode dar mole. Apesar de não haver muitos índices de assaltos e violência, sempre há relatos de muitos furtos. E nisso, os ladrões europeus são realmente bons. São muitas e muitas histórias de pessoas que foram furtadas e nem perceberam. Portanto fique sempre atento aos bolsos e bolsas. Principalmente no metrô ou onde tiver muita gente. Até dentro dos próprios museus há avisos para atentar aos pick pokets – esses furtos invisíveis que você só se dá conta quando chega no hotel, então a coisa é séria, atenção aos pertences e uso de doleira sempre.

Orçamento e Custos

Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

Quanto custa uma viagem pela Europa?

Essa é uma das perguntas que mais ouvimos desde que voltamos de nossa viagem pela Europa. Todo mundo quer saber uma média de quanto gastamos. Mas claro que o custo de uma viagem depende muito do estilo de cada viajante e do tempo da viagem. Sendo assim, vamos tentar passar aqui uma média de gastos em geral durante uma viagem pela Europa. Dentro de nosso roteiro de 15 dias completos de viagem, passamos por Barcelona, Andorra, Paris, Amsterdam e Roma. Logo, podemos perceber que a Europa, na questão de preços, se divide em duas: a Europa dos países mais caros, e a Europa dos países mais baratos. Pesquisando por outros blogs, vimos que vários outros blogueiros também dividem assim o Velho Continente.

Países mais baratos para se viajar pela Europa:

  • Portugal
  • Espanha
  • Grécia
  • Croácia
  • Itália
  • Entre vários outros da Europa Oriental.

Países mais caros para se viajar pela Europa:

  • França
  • Suíça
  • Inglaterra
  • Holanda
  • Noruega
  • Suécia
  • Alemanha
  • Entre outros países nórdicos.

Tabela de custos:

Para você ter uma ideia da diferença de valores, veja a média de gastos da nossa viagem na tabela abaixo.

Cidades visitadas Média das diárias da suíte para casal em hotel ou hostel Gastos diários com comida + transporte + lazer por casal
Barcelona/Andorra/Roma 45 Euros 60 Euros
Paris/Amsterdam 105 Euros 100 Euros

  Obs: Os gastos com comida, transporte e lazer, são levando em conta: almoços e lanches em restaurantes e lanchonetes normais, nada sofisticados; transporte público como metrôs e ônibus; e lazer com um museu por cidade e saídas a noite para conhecer alguns bares ou pubs. Logo, com a tabela acima, é possível se ter uma boa ideia de quanto custa uma viagem pela a Europa. Se o seu roteiro incluir cidades ou países como Lisboa, Madri, Milão, Grécia ou Croácia, faça o cálculo diário equivalente a Barcelona, Andorra e Roma. Caso o seu roteiro inclua destinos como Londres, Berlim, Suíça, Suécia ou Noruega, faça o cálculo diário equivalente aos custos de Paris e Amsterdam. Para quem está disposto a ficar em quartos compartilhados, o preço da diária com hospedagem cai para 15 Euros por pessoa para os países mais baratos, e para 25 Euros nos países mais caros. Mas claro que todos esses valores dependem da época da viagem, na temporada de verão, os preços costumam ser maiores.

Conclusão:

Sendo assim, em nosso roteiro de viagem pela Europa, onde passamos metade dos dias em destinos mais baratos, e a outra metade em destinos mais caros, tivemos um gasto médio diário por casal de 150 Euros. Isso incluindo os gastos com suíte em hotel ou hostel, comida, transporte interno nas cidades e lazer (entrada em museus e saídas a noites para bares ou pubs). Os gastos que não estão incluídos nesse valor são os de passagens para a Europa e as passagens entre os destinos do roteiro.  Então é isso! Esse foi nosso primeiro post sobre a viagem pela Europa e ficou bem grande mas acreditamos que tenha sanado as principais dúvidas de quem quer fazer uma viagem para lá pela primeira vez. Esperamos que você tenha gostado, e caso você ache que o post também possa ajudar algum amigo ou conhecido seu, por favor não deixe de compartilhá-lo. Aguardem os outros posts e se tiverem dicas ou dúvidas sobre como planejar uma viagem pela Europa, ou até mesmo sugestões para novos posts, deixe seu comentário! Para saber mais dicas de viagens, acompanhe a gente no Facebook e Instagram.

Author

Designer, blogueiro e empreendedor por natureza, sou amante de fotografia, viagens e da boa culinária. Após meu primeiro intercâmbio, criei uma paixão por viagens. De lá pra cá foram 2 mochilões, 15 países conhecidos, fora as viagens no Brasil. Fascinado por experimentar novos sabores, adoro combinar e inventar novas receitas.

1 Comment

  1. Melhor e mais completo post sobre planejamento de viagem para a Europa! Muito obrigada por todas as dicas! Sensacional!

Deixe seu comentário: